terça-feira, 3 de junho de 2014

coração porco



-“Se o coração do homem não transborda de amor ou de cólera…” - ele esperou.
-“Nada se faz no mundo” - ela sorriu. Terminou o chá, levantou-se. - Nikos Kazantzakis, O Cristo recrucificado.
Ondjaki, E se amanhã o medo


De dia, sono
De noite, insônia --
a única hora para tentar entender o mundo.
Mas o coração não deixa, perdi o manual,
esqueci o latim.
O coração dos porcos 
é mais sensível:
o aconchego quer chegar a todos, se perde sem conseguir alcançar ninguém.

4 comentários:

Chaves disse...

que lindo MA! Estou perdida amiga... tanto sentimento dentro de mim, não consigo me expressar tão bem qto vc...

ma disse...

Perdidos estamos todos, coitados dos que acham que sabem o que estão fazendo :)Escreve sem se preocupar se está bom ou não! Também tenho muitas dúvidas sobre o que eu faço, mas se me alivia... E não me deixe monopolizar este blog!

Chaves disse...

hahaha ok! mas não tem como me comparar com uma poeta como vc!

ma disse...

Para fazer poemas é só pular de linha no meio da frase, hahaha... #ficaadica